segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Almas apaixonadas

Rafael Deleon
Almas Apaixonadas

Paulo Roberto Gaefke

Basta olhar nos teus olhos para enxergar além dos horizontes,
basta tocar em teus cabelos para começar uma viagem,
basta sentir o teu perfume para os meus sentidos se perderem.

Ai de mim, alma apaixonada pelos teus encantos,
sinto-te tão perto e ao mesmo tempo tão distante,
talvez, seja apenas angústia de uma pessoa sonhadora,
que busca esse amor perfeito,
o casamento das almas, o indissolúvel,
o que nem o tempo, assassino das paixões,
nem a própria morte, a separadora dos corpos,
poderão destruir.

É assim que te amo, além de todas as fronteiras,
é assim que te respeito, te busco, e me encanto.
De dia ou de noite, meus pensamentos te buscam,
e eu me entrego ao prazer de sonhar contigo.

Ai de mim, alma apaixonada,
sofro pela tua distância,
pela tua ausência, e mesmo em tua presença,
sofro pelos minutos contados,
pelo relógio que insiste em correr, sem respeitar o nosso amor.

Dizer que te amo é clichê velho e sem graça,
eu preciso de você para respirar, caminhar,
viver e até sonhar.


Mais que amor, o que eu sinto por você é a estranha certeza de que de alguma maneira, fazemos parte um do outro, coisa que só as almas apaixonadas podem entender,
por isso nosso amor não se explica, apenas se vive intensamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário